domingo, 4 de outubro de 2009

Agora faz pouco que você foi embora e me deixou aqui sozinho.

Faz pouco, tão pouco, que ainda não consigo imaginar como é - depois de 30 anos - acordar sem ser com seu beijo. Não terei mais arroz e feijão quentes ao meio-dia, então acho que terei que almoçar na empresa, num banco qualquer do refeitório. E quando eu já estiver no chuveiro e ver que esqueci a toalha, não terei a quem chamar, pois você não estará aqui para ralhar 'de novo!' e entrar sorrindo no banho comigo. Não terei companhia para ver TV até tarde e nem quem me acorde quando eu, cansado, dormir no sofá. Honestamente, não imagino como será chegar do trabalho sem te ver de avental na cozinha, terminando o jantar. Não sei como será ir dormir sem te falar do meu dia, contar a piada que ouvi do cara do comercial, planejar o fim de semana. Não sei como é deitar sem ser com você, jantar sem ser com você, sonhar sem ser com você.... eu não sei como é viver sem ser com você (e será que algum dia eu soube?).

Agora faz pouco que você foi embora e me deixou aqui sozinho.
Agora janto um sanduíche e a única voz que ouço é a do moço da TV.

Um comentário:

Mila disse...

adorei, Ângela! muito lindo =]