quarta-feira, 29 de outubro de 2008

A pessoa errada*

* este NÃO é um texto sério. Eu não sou pesquisadora, muito menos vivenciei qualquer uma das situações citadas aqui.
Devido ao fim do semestre, à correria no trabalho, aos amigos cada vez mais loucos e à minha vida cheia de imprevistos, estou há milênios sem postar. E justamente por ter tantas coisas para fazer/resolver, vim aqui escrever algumas linhas - talvez eu me prolongue.Reclamam que eu só posto coisas tristes, inúteis e etc, portanto vim até aqui para registrar mais uma inutilidade e pensar um pouco sobre o que a maioria das pessoas vive falando e sabe muito mais que eu: relacionamentos. Mas, aposto, ninguém me vence em experiência com um tipo específico: relacionamento com a(s) pessoa(s) errada(s).Tudo começou aos 13 anos, quando eu era uma menininha meiga e ingênua (HAHA) e me apaixonei pelo cara estranho do fundo da sala, que mais tarde - quando sentei perto dele em uma aula de português - bateu em mim com um caderno (risos). Todos me diziam que ele tinha problemas, ele tinha até calos nos DEDOS, porque era viciado nesses jogos de internet. Hoje - queimada por toda a cidade - muito mais vivida e sábia, continuo me envolvendo com esse tipo de gente com a mente ou a vida deturpada. E, após anos de práticas e estudos, venho a público apresentar minhas conclusões sobre os relacionamentos com: namorados (alheios), ex-namorados (meus), casados, ex-casados (nunca comigo!!), colegas, pessoas com idade mental inferior a 7 ou superior a 70, maníacos, viciados, ex-viciados, apaixonados por outras, canalhas, cachorros, colorados, retardados, tocadores de violoncelo, ____________(coloque o problema de seu pegada aqui).

FASE 1
Você o vê. Está andando em direção à faculdade com sua amiga, e lá está ele fumando um cigarro/batendo em alguém/jogado no chão/saindo do carro/de mãos dadas com a esposa com suas calças rasgadas ou seu terno. Sua amiga, que te conhece, percebe as conexões que estão sendo feitas em seu cérebro antes mesmo de você e fala: "não, por favor". Já é tarde e você já estabeleceu o contato visual, se for mais ousada até já colocou um bilhetinho com seu telefone no bolso do cara. Ah, é engraçado.

FASE 2
É onde se estabelecem os primeiros contatos. Ele está ali no bar, não custa nada pedir uma cerveja e dar um oi, mas só pra ver se o cara é legal. A amiga olha com um ar de reprovação e fala "desisto, faz o que quiser". HAHA, é claro que você ia fazer o que quer, como se ela não soubesse. Ele responde "oi", te comendo com os olhos. Você vê a aliança/droga/calos. E não se importa.

FASE 3
Você liga para a amiga dizendo que ele é uma boa pessoa, não fosse um probleminha, que não importa: ele será um bom amigo. Aliás, o bom amigo liga, só pra uma cervejinha inocente. Vocês se pegam loucamente no carro/praia/atrás da árvore/lugar isolado.

FASE 4
Vocês se vêem novamente e se agarram. Sua amiga está decepcionada, você jura que não temproblema, afinal não quer nada sério, ainda mais com ELE. É só diversão, aquela aventura toda, mensagens apagadas, desculpas para ninguém perceber. Cada dia - ou noite - é melhor, você se sente uma criança comendo doce antes do jantar, afinal você é indiferente a isso, só acha engraçado.

FASE 5
As pessoas começam a desconfiar que algo está errado. Você nega. Começam a se ver com mais frequência, encontros furtivos. Você diz para sua amiga que pode parar quando quiser. Ela ri - para não chorar - e fala que você ainda vai: buscá-lo na clínica de reabilitação/apanhar da oficial/ajudar a criar a criança.

FASE 6
Você começa a se sentir triste quando vocês não se vêem. Se convence de que é só porque se acostumou e resolve sair com suas amigas para uma noite daquelas, pra não perder a prática. Sem ele saber, claro. Sua fiel amiga fica feliz por ter a guerreira de volta.

FASE 7
Você não beijou ninguém, e entre um drink e outro sua amiga diz que ele não presta. Você sabe disso. Pior: manda uma mensagem quando chega em casa dizendo que está com saudade, mesmo tendo o visto no jantar. Sua amiga descobre e diz que você é patética. Você manda ela à merda.

FASE 8
Ele não te liga durante um dia todo. Você chora e liga pra (coitada) da amiga. Diz que está apaixonada. Que não sabe viver sem ele. Ela te consola por uma tarde inteira. Você marca um jantar com ele para poder conversar.
FASE 9
Você avisa que tem uma surpresa para sua amiga, ela faz uma cara de quem não aguenta mais. Ela olha com pena quando você pronuncia as seguintes frases ou similares "Ele disse que vai largar da oficial/das drogas/parar de fumar, beber/que prefere eu ao Inter/eu à ex;que vai tratar os calos e parar de jogar". Ou, quando ele é inescrupuloso mesmo: "ele disse que me ama". Você começa a planejar o casamento, sabe que cedo ou tarde ele fará o pedido. Ah, você o ama. Afinal, ele é o melhor que apareceu na sua vida.

FASE 10
Ele some. Ou te bate. Você o ama cada dia mais. Se vocês terminarem, você começa a fazer terrorismo. Manda e-mails, espera na porta do escritório, liga de madrugada e desliga quando ele atende. Ele manda avisar que sabe que é você: você nega. Sua amiga diz que você está louca.

FASE 11
Você acorda num lugar calmo e branco. Tudo é lindo e gira um pouco, seus braços estão presos, mas sua mente está voando. Você está num hospício. E sedada.

Enfim, esse é um estudo que dará base à minha monografia. Ok, ok. Eu tive que inventar as últimas fases. Nunca passei por elas, afinal, sempre aparece um namorado (alheio), ex-namorado (meu), casado, ex-casado (nunca comigo!!), colega, pessoa com idade mental inferior a 7 ou superior a 70, maníaco, viciado, ex-viciado, apaixonado por outra, canalha, cachorro, colorado, retardado, tocador de violoncelo, ____________(coloque o problema de seu pegada aqui) novo e me tira do foco. Fazer o quê, é a vida. :D

Beijo, tchau!


6 comentários:

Fernanda disse...

haha
nos reconheci em várias situações citadas... não vou nem dizer quais, porque é óbvio que é a parte do hospício, né.
mas eu fui te visitar lá sempre.
você tem amigas, isso que importa.

tchau, tchau, vou pra trás de uma árvore (fase 3??)

HAHAHA

Kev. disse...

Ah tu é otima angi. (risos)(muitos risos)(risos de alguem que "se cagou de tanto rir"[não literalmente{nunca tinha usado colchetes, e chaves em frases antes}])
vo fazer a versão masculina ate semana que vem.

P.S. Colorado???? poxa... deve ter sido dificel pra vc (risos)

Kev. disse...

olha meu blog hahahaha
t adoro
bjo

Ana Paula disse...

nao conheço ninguém que sido assim.............

Lissara Guadagnin Bergamaschi - Lica disse...

kuekaeuakuakuaku
geniaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaal!!!
E agora eu tenho certeza q tô cída pelo cara...ok, mais cedo ou mais tarde eu me dava conta mesmo!

Débora Gallas disse...

"Você não beijou ninguém, e entre um drink e outro sua amiga diz que ele não presta. Você sabe disso. Pior: manda uma mensagem quando chega em casa dizendo que está com saudade, mesmo tendo o visto no jantar. Sua amiga descobre e diz que você é patética. Você manda ela à merda."


gente, eu sou a amiga!!
hahahaha
me identifiquei total :O